Fale conosco
Tour Virtual

Trabalhadores de telemarketing protestam em Salvador e cobram pagamentos trabalhistas após demissão

06/08/2021

Sindicato que representa a categoria afirma que cerca de 800 funcionários foram dispensados entre abril e junho e até o momento não receberam pagamento da rescisão.

Um grupo de trabalhadores do ramo de telemarketing realizou um protesto na manhã desta quinta-feira (5) no bairro da Boa Viagem, em Salvador, em frente à sede da empresa Liq. Eles afirmam que cerca de 800 trabalhadores foram demitidos entre os meses de março e maio, porém, não receberam o pagamento da rescisão contratual e outros direitos trabalhistas.

O grupo diz que não foram realizados trâmites para homologação e parte dos trabalhadores está impedida de dar entrada para receber o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e o Seguro-Desemprego.


Funcionários demitidos da Liq realizam protesto no bairro da Boa Viagem, em Salvador — Foto: Reprodução/Sinttel

A Liq informou que enfrenta impactos provocados pela pandemia da Covid-19 e por isso precisou fazer ajustes no quadro de funcionários e readequar operações. Em nota, a empresa disse lamentar os transtornos e garantiu que "inconformidades de pagamentos já estão sendo averiguadas e quaisquer falhas serão resolvidas na maior brevidade possível".

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações da Bahia (Sinttel), houve um acordo para que a Liq realizasse os pagamentos em cinco parcelas, porém somente duas foram quitadas - ainda assim, nem todos foram contemplados.

“Eles [a empresa] fizeram uma negociação conosco, com mediação do Tribunal Regional do Trabalho. Contudo não está efetuando esse acordo. Para os demitidos a partir de abril, nada foi pago: nem valores rescisórios, nem guia para o FGTS ou seguro-desemprego. E a nossa mobilização tem sido no sentido de pressionar a empresa a regularizar a situação dos trabalhadores”, disse Marcos Pires, diretor administrativo do Sinttel.

A Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) informou que a mobilização dos trabalhadores não chegou a afetar o tráfego, e o fluxo de veículos segue sem retenção nas vias durante o ato.

 

Fonte: G1
As notícias publicadas e reproduzidas nessa plataforma são de inteira responsabilidade de seus atores (citados na fonte). Dessa forma, os mesmos não traduzem necessariamente a opinião da Advocacia Trabalhista Borges


Quer saber mais sobre direito trabalhista? Fale com nossa equipe, agora!  

Se você precisa de uma assessoria de direito trabalhista, fale com a gente: