Agências da Caixa abrem mais cedo até quarta para saque das contas inativas do FGTS

12/06/2017

A Caixa Econômica Federal abre todas as suas agências duas horas mais cedo desta segunda-feira (12) até a próxima quarta-feira (14) para o pagamento das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aos trabalhadores nascidos nos meses de setembro, outubro e novembro.
SAIBA MAIS SOBRE OS SAQUES DAS CONTAS INATIVAS

Prevista inicialmente para começar no dia 16, a quarta fase foi antecipada para o dia 10 em função do feriado prolongado de Corpus Christi, que começa na próxima quinta-feira (15).

Mais de 2 mil agências abriram no sábado, entre 9h e 15h, primeiro dia do calendário do 4º lote, para saques, solução de dúvidas, acertos de cadastro e emissão de senha do Cartão Cidadão. A procura foi grande e em muitos estados houve filas nas agências (veja no vídeo do Jornal Nacional).

Os mesmos serviços serão prestados até a próxima quarta-feira, quando todas as agências abrirão 2 horas antes para atendimento relacionado exclusivamente às contas inativas do FGTS. Nas regiões em que os bancos abrem às 9h, as agências abrirão às 8h e terão o horário de atendimento prorrogado em 1 hora, segundo a Caixa. Serão atendidos também os trabalhadores que são de outras fases do calendário, não apenas os nascidos nos meses de setembro, outubro e novembro.

Segundo a Caixa, 7,5 milhões de trabalhadores têm direito a sacar recursos de contas inativas nesta quarta fase.
O valor disponível para saque nesta quarta fase é de cerca de R$ 10,9 bilhões, o que equivale a 25% do total a ser liberado pelo programa.
Mais de 2,4 milhões de trabalhadores receberão seus recursos automaticamente via crédito em conta poupança da Caixa, que representa R$ 2,9 bilhões em recursos.

Tem direito a fazer os saques das contas inativas o trabalhador que pediu demissão ou foi demitido por justa causa até 31 de dezembro de 2015. O trabalhador não pode sacar o FGTS de uma conta ativa, ou seja, que ainda receba depósitos pelo empregador atual.

 

Fonte: G1